Diário de bluebubble

Um dia incomum

Sábado, 28 de Setembro de 2019.

Um dia incomum Público
Acordei mais cedo do que havia planejado.
Para fazer jus ao apelido que lhe dei alguns dias atrás, de a gatinha mais dramática do mundo, Maya me acordou super cedo nesse último sábado, miando excessivamente. Acabou que fui praticamente obrigada a levantar, tentei acalmá-la enchendo os potes de ração e água e higienizando a caixa de areia, mas nem preciso dizer que não obtive sucesso, né? Mas tudo bem!
É óbvio que eu tentei dormir novamente, mas não consegui também. Então decidi pintar minhas unhas, descobri que alguns dos esmaltes dos quais guardados estavam secos, coloquei-os no lixo, e pintei as unhas com um de cor azul que estava em bom estado...
Depois de pintar as unhas e ter gostado do resultado, coloquei o frango para descongelar e cozinhei macarrão enquanto esperava por Vinícius, que é o meu melhor amigo e estava vindo para irmos ao Jardim Botânico com Vitor e Rennan.
Vinícius chegou por volta das 11 horas da manhã e eu já havia cortado os pedaços de frango e feito o macarrão. Temos uma espécie de acordo, onde ele sempre tempera as comidas, por ser um ótimo cozinheiro. Ele trouxe bolo, incrementado com nozes, castanhas e amêndoas, gostei bastante (sempre). Doces me deixam feliz. :)
Tomei banho enquanto ele temperava e assava o frango, e Vitor finalizava o macarrão para nosso almoço.
Após termos almoçado, terminamos de nos organizar e pedimos um Uber para o Jardim Botânico, o passeio da tarde. Quando chegamos lá, Rennan já estava nos esperando e ao lado dele estavam três moças, que descobrimos posteriormente que ele estava ajudando a conseguir um carro, já que elas estavam sem internet nos celulares e ele estava roteando a internet do celular dele para o delas para elas conseguirem acessar o aplicativo.
Fomos os quatro até a entrada do Jardim e antes de passarmos na catraca recebemos instruções para primeiros visitantes, do tipo "não alimentar os animais", "não tirar fotos com flash para não assustar os animais", "não ingerir bebida alcoólica", e por aí segue. Não fomos revistados em momento algum, mas também não quebramos regras. Além da regra de não tocar em algumas plantas, que eu toquei, pois amo texturas. :P
Estava fazendo bastante sol, o que me surpreendeu um pouco, porque eu pensava que o clima estaria um pouco ameno após às 13:30. De início reclamamos bastante sobre o sol e também sobre o fato de algumas plantas, mesmos as que estavam em exposição, estarem um pouco ressecadas. No mais, se é possível que lugares tenham áurea, a áurea daquele lugar era incrível. E o clima melhorou muito a nosso favor depois que entramos nos caminhos pela mata, muito confortável.
O Jardim Botânico fecha às 15:30, por isso tivemos pouquíssimo tempo, apesar de suficiente, para visitá-lo. As trilhas de Mata adentro estavam fechadas, mas mesmo que estivessem abertas nós não conseguiríamos acessá-las, porque tanto Vinícius quanto Rennan estavam vestindo bermudas, e é necessário estar com roupas e sapatos fechados para própria segurança.
O lugar que mais gostei lá foi o deque na margem do lago, onde ficamos por pouco tempo, pois tinham algumas famílias com crianças e suas características mais comuns, barulhentas e ativas. No orquidário, apenas uma orquídea estava florida, solitária e bela amarela. A moça que trabalha lá contou que a maioria das orquídeas ficam floridas no verão, mas que também depende bastante da espécie. Ainda ficamos um pouco na estufa de cactos, onde havia um banco, conversando até o momento de ir embora.
Na volta, pedimos uber novamente. Eu achei que Rennan iria embora, mas Vinicius o ofereceu água então ele foi até o apartamento conosco. Bebemos água, tiramos os tênis, e fomos os 4 para o laguinho da UFPE, que é um espaço onde antes havia um lago, mas agora não há mais, embora de grama verde e ambiente familiar.
Haviam algumas famílias, como no jardim, com crianças e pets e bolas, mas a brisa compensou.
Conversamos e rimos até anoitecer, deitados e sentados na grama. Algumas vezes fomos assustados pelos cachorros e crianças correndo, e até por um besouro gordinho que voava baixo demais! Quando se tornou perigoso estar por lá, levamos Rennan no ponto de ônibus e fizermos companhia a ele, papeando, até o ônibus que ele iria pegar chegar.
De volta ao apartamento, Vitor queria muito ir ao Supermercado Big Bom Preço, pois nunca havia ido, fomos. Decepção total, os preços estavam altos para universitários. Na volta, paramos no Brazzettus, onde entramos no rodízio de pizza. As pizzas estavam muito gostosas e foi lá também que tomei a sprite mais gelada do ano! Vitor conseguiu comer 10 fatias de pizza; eu, 5; Vinícius, quase 7.
Rimos bastante enquanto estávamos por lá, mas num determinado momento se tornou impossível conversar sem danificar as cordas vocais, porque outras pessoas estavam comemorando dois aniversários no salão, com crianças correndo novamente, e o barulho estava em alta. Os meninos beberam caipirinhas e eu tentei tomar uma caipiroska, que sobrou pra Vitor beber, pois não gostei do gosto.
Ao voltar para casa, após belos banhos, tentamos assistir filme, que foi indicado a Vinícius por um conhecido dele, mas dormimos antes mesmo dos 20 minutos iniciais da ficção. [i]O cansaço conseguiu nos derrubar, uma vez mais.[/i]

Imagem 1: Rennan, eu, Vinícius e Vitor (da esquerda para direita) no Jardim Botânico.


  [Voltar]  


Comentários

Comentários (1)




Para fazer comentários, realize o login.





Segunda-feira, 30 de Setembro de 2019 às 10:45
que dia legal vc teve e como e bom ter amigos assim

(
0
)
(
0
)

 

Últimos Acessos


 

Destaque

    Twitter Facebook Orkut